Peregrinação da Virgem de Guadelupe

Um dia inteiro marcado pelas celebrações à padroeira do México.

À meia noite do dia 12 de dezembro iniciam-se as comemorações em homenagem à Virgem de Guadalupe, padroeira do México e canonizada pelo papa Papa João Paulo II em visita ao país em 1999. Ao soar dos sinos, os principais artistas mexicanos se unem a milhares de fiéis para entoar juntos a canção “Las Mañanitas”, na Basílica de Guadalupe, o segundo centro católico mais visitado do mundo, atrás somente da Basílica de São Pedro, em Roma.

Em 2018, mais de 10 milhões de peregrinos do México e de todo mundo acompanharam as procissões. Eles chegam à capital do país carregando suas próprias imagens da Virgem para enfeitar o Santuário e agradecer pelas graças conquistadas durante o ano. Muitos caminham por dias até atingirem o alto do monte Tepeyac, onde está localizada a Basílica dedicada à Santa, na Cidade do México.

Segundo a tradição oral mexicana e documentos históricos do Vaticano, a Virgem apareceu ao índio San Juan Diego Cuauhtlatoatzin, em 1531, em quatro ocasiões e, na última delas, ao seu tio. Embora muitos fiéis acreditem que o nome “Guadalupe” seja mexicano, na verdade é uma palavra de raiz árabe que significa “Rio de lobos”. A ela são atribuídos milagres referentes a saúde, trabalho e dinheiro.