Carnaval de Negros y Blancos

Vale tudo, talco, farinha, mas, principalmente, muita alegria!

Tombado Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco em 2009, o Carnaval de Negros y Blancos nasceu no sul da Colômbia, na cidade de San Juan de Pasto, fruto das tradições nativas andinas com forte influência das culturas hispânica e africana. A festa acontece anualmente entre os dias 28 de dezembro e 6 de janeiro e tem início com o Dia da Água, no qual as pessoas saem às ruas para molhar umas às outras. Vale tudo, de canecas d’água a banhos de mangueira e hidrantes. O importante é não voltar para casa seco(a).

A celebração continua com a Serenata a Pasto, em 30 de dezembro, quando os melhores trios de cordas da região ganham as ruas para entoar canções típicas colombianas. Para dar início aos dois dias finais, que são considerados o ponto alto da festa, no dia 4 de janeiro é realizado um grande desfile em homenagem à família Castañeda, que, segundo a lenda, foi recepcionada pelos campesinos em 1928. Esta é a época em que os foliões a evocam por meio de suas fantasias e trajes antigos, mas até hoje não se sabe se esta família alguma vez existiu.

O “Dia de los Negros”, comemorado em 5 de janeiro,  dá início à parte mais tradicional deste carnaval: todos saem às ruas munidos de tinta preta para pintar uns aos outros ao som de orquestras de rua que acolhem a todos, sem distinção de raça ou classe social. No dia seguinte, as regras continuam as mesmas, muda somente a cor com a qual as pessoas se pintam nas ruas: branco. Mais uma vez, vale tudo, talco, farinha, mas, principalmente, muita alegria!